Amigos e parentes dão adeus a piloto de Marília Mendonça em Brasília

O corpo do comandante Geraldo Martins de Medeiros Júnior (foto em destaque), 56 anos, piloto responsável pelo voo de Marília Mendonça, 26, e equipe até Caratinga (MG), foi velado e enterrado na manhã deste domingo (7/11) no Cemitério Campo da Esperança, na Asa Sul.

A família tinha a intenção de cremar o corpo em Valparaíso (GO), no Entorno do DF. As cinzas seriam levadas para Floriano (PI), cidade onde o piloto nasceu, ainda neste domingo. Mas por conta de problemas na documentação de óbito, não foi possível. O enterro no Campo da Esperança ocorreu por volta das 11h30.

Tarciso Pessoa Viana, 37, copiloto da aeronave, foi sepultado no Cemitério de Taguatinga no mesmo horário, sob muita comoção. Ele deixa a esposa grávida e dois filhos. Entre eles, Pedro Viana, 21 anos, que desabafou durante a cerimônia. “Meu herói, meu espelho“.

O músico Marcelo Zamith é amigo de Geraldo há mais de 40 anos. Ele é uma das pessoas que foram se despedir dele no Campo da Esperança. Marcelo conta que ensinou o piloto a tocar tuba na adolescência, quando eram colegas no Colégio Setor Leste. “Ele sempre me privilegiava, ia sempre me assistir”, relembra.

Os vizinhos da 416 Sul, quadra onde Geraldo morava em Brasília, enviaram coroas de flores ao velório.

Com 15 anos de experiência, o comandante Geraldo Martins de Medeiros Júnior era requisitado por celebridades. Segundo a ex-mulher do piloto, Euda Dias, Geraldo Júnior era um profissional sério e discreto.

“Um choque. A gente não esperava. Ele era um piloto muito bom. Até agora, a gente não acredita. É um choque”, disse Euda Dias, que foi ao velório no Campo da Esperança na manhã deste domingo.

O piloto trabalhava para a empresa PEC Táxi Aéreo há cerca de 1 ano e meio. Um colega de Geraldo, que também mora no Distrito Federal, contou ao Metrópoles que trabalhou com o piloto há 15 anos, na TAM. “Ele foi meu copiloto por três anos consecutivos. Era uma pessoa muito boa, querida por todos”, afirmou o amigo de Geraldo, que preferiu não se identificar.

Os corpos do piloto e copiloto foram trazidos de carro do município de Caratinga (MG) para Brasília, segundo a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). A distância entre as cidades é de aproximadamente 1 mil quilômetros, o que equivale a 14 horas de viagem.

Geraldo Júnior e Tarciso Viana morreram no mesmo acidente que a cantora Marília Mendonça e mais dois integrantes da equipe da artista, na tarde dessa sexta-feira (5/11). O avião que levava a equipe para um show que a Rainha da Sofrência faria em Caratinga, na noite de sexta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *