Subtenente preso por estupro coletivo em Águas Lindas é afastado da PMDF

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) decidiu afastar o subtenente Irineu Marques Dias, 44 anos, investigado por participar de um estupro coletivo durante uma festa, em Águas Lindas de Goiás, na manhã de sábado (9/10). O militar e mais dois investigados foram detidos em flagrante e responderão por estupro. A polícia trabalha para identificar outros três suspeitos.

subtenente estava em horário de serviço quando teria violentado a vítima com outros cinco homens. Em nota, a Polícia Militar confirmou que o subtenente está preso em Goiás e que permanecerá afastado do serviço até a conclusão das investigações. “A PMDF informa que está aguardando a conclusão do inquérito para dar prosseguimento às apurações. De qualquer forma, a PMDF não compactua com quaisquer desvios de condutas, menos ainda com ações que configurem crimes. Iremos apurar os fatos e tomar as medidas pertinentes”, disse a corporação.

O militar é lotado no Batalhão de Polícia Militar Ambiental (BPMA) do DF e, segundo fontes policiais revelaram ao Correio, estava em horário de trabalho quando os abusos foram cometidos. O estupro coletivo aconteceu durante uma festa que ocorria na casa dos suspeitos, no Setor 1 de Águas Lindas de Goiás. Além do policial militar, Thiago de Castro Muniz, 36, e Daniel Marques Dias, 37, foram presos. Daniel é irmão de Irineu teria organizado a festa.

O crime

A jovem chegou ao evento na noite de sexta-feira (8/10). Como consta na decisão judicial que converteu a prisão flagrante em preventiva, a vítima foi convidada por duas mulheres para um quarto da residência com o propósito de dormirem. Após entrarem no cômodo, a mulher teria saído e logo em seguida o militar entrou.

Armado, o PM tirou a roupa da jovem e teria a estuprado. Ainda segundo a versão contada pela vítima, outros dois homens entraram no quarto em seguida e a violentaram. O mesmo aconteceu pouco tempo depois, quando, segundo a moça, outros dois suspeitos chegaram e também abusaram dela. A mulher chegou a pedir socorro durante os abusos, mas relatou não ter sido atendida por nenhum dos frequentadores da festa.

Fuga

Na manhã de sábado, a vítima aproveitou o descuido dos agressores, vestiu uma roupa que supostamente pertencia ao militar e conseguiu fugir para pedir ajuda. Os policiais militares de Goiás foram acionados e se deslocaram até o endereço onde supostamente teriam ocorrido os fatos.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Goiás (CBM-GO) atendeu a jovem e a encaminhou até o Hospital Municipal Bom Jesus para atendimento médico. Os policiais conversaram com a vítima na unidade de saúde após ela ter sido atendida e medicada e a levaram até à 17ª Delegacia de Polícia para reconhecimento.
Na unidade policial, ela reconheceu três dos seis suspeitos, incluindo o subtenente da PMDF.

 Da redação com o Correio Braziliense

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *