Rodoviários mantêm greve e paralisação de 100% da frota no DF

O Sindicato dos Rodoviários do DF (Sinttrater) informou, na noite deste domingo (2/5), que a greve dos rodoviários, com paralisação de 100% da frota de ônibus, está mantida. Serão 24 horas de interrupção da circulação de ônibus em todo o Distrito Federal: começando à 0h desta segunda-feira (3/5).

“A greve vai acontecer conforme já anunciado. É o lockdown dos rodoviários para cobrar a vacinação dos trabalhadores. Nesta segunda não saia de casa. O trabalho volta normalmente na terça. Vamos estar firmes apesar das ameaças que possam vir. Nossa luta é justa”, informou o Sinttrater por meio de nota.

Na noite deste domingo (2/5), a desembargadora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) Sandra de Santis suspendeu decisão anterior da Corte que considerou a greve “ilegal e abusiva” e determinou multa de R$ 1 milhão caso a paralisação fosse mantida.

Decisão TJDFT — Paralisação rodoviários by Metropoles on Scribd

Neste sábado (1º/5), o desembargador-presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-10) determinou que a greve dos rodoviários ocorra de maneira moderada: 60% dos ônibus devem rodar nos horários de pico, e 40% no resto do dia. A pena para o descumprimento é de R$ 50 mil.

Greve é pela vacinação contra a Covid-19

Por falta de acordo com o Governo do Distrito Federal sobre a vacinação contra a Covid-19, os rodoviários decidiram parar na próxima segunda-feira (3/5), por 24 horas.

Em nota, o Sindicato dos Rodoviários do DF (Sinttrater) informou que a reunião com a cúpula do GDF na sexta-feira (30/4) não foi bem-sucedida.

Assim, a entidade anunciou a paralisação dos motoristas e cobradores das viações que cobrem todas as bacias do DF. Ou seja, a medida afeta a população de toda a capital.

“A reunião para tratar da vacinação dos trabalhadores rodoviários não atendeu às expectativas. A categoria vai paralisar suas atividades por 24 horas, em sinal de protesto. A paralisação ocorrerá a partir de segunda-feira, iniciando à 0h e terminando às 23h59 da própria segunda”, informou a entidade.

Inicialmente, havia uma paralisação agendada para a sexta-feira, mas o movimento foi cancelado, com o objetivo de que trabalhadores e governo pudessem se reunir. Participaram da reunião de sexta os secretários de Saúde, Osney Okumoto, e de Transporte e Mobilidade, Valter Casimiro, além de integrantes do Sinttrater.

Segundo os rodoviários, o secretário de Saúde apresentou como proposta a possibilidade de incluir na vacinação os trabalhadores rodoviários com comorbidade da faixa etária acima dos 55 anos.

“Essa proposta não atende aos interesses da categoria, uma vez que atingiria uma faixa muito pequena de beneficiários, muitos dos quais podem até nem estar em atividade”, disse o sindicato.

Da redação com o Metrópoles

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *