Brasil atinge marca de 400 mil mortes por Covid-19

O Brasil atingiu, nesta quinta-feira (29/4), a triste marca de 400 mil mortos por Covid-19.

O evento ocorre apenas um mês após o país alcançar 300 mil óbitos devido à doença. Especialistas e técnicos do Ministério da Saúde já alertavam que abril seria o pior mês da pandemia do novo coronavírus.

Além disso, já são mais de 14,5 milhões de casos da doença confirmados.

  • 17/03/2020: primeira morte por Covid-19 no Brasil
  • 08/08/2020: 100 mil mortes por Covid-19 no Brasil
  • 07/01/2021: 200 mil mortes por Covid-19 no Brasil
  • 24/03/2021: 300 mil mortes por Covid-19 no Brasil
  • 29/04/2021: 400 mil mortes por Covid-19 no Brasil

O avanço rápido da Covid-19 coincide com o colapso do sistema de saúde registrado em vários estados do país.

Nas últimas semanas faltaram leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e até medicamentos básicos usados na intubação de pacientes acometidos pela doença.

O governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tem sido apontado como um dos principais responsáveis pela tragédia sanitária.

O chefe do Executivo federal evitou o uso de máscaras e buscou se aglomerar diversas vezes, contrariando recomendações básicas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Além disso, especialistas apontam para um atraso na distribuição e aplicação da vacina contra a Covid-19.

Hoje, apenas 14% dos brasileiros receberam a primeira dose de imunizantes. Israel, Reino Unidos e Estados Unidos já vacinaram, respectivamente, 62%, 50% e 43% da população.

Nessa terça-feira (27/4), o Senado Federal instalou uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar ações e omissões do governo federal durante a pandemia.

Os ex-ministros da Saúde Luiz Henrique Mandetta, Nelson Teich e Eduardo Pazuello, além do atual comandante da pasta, o cardiologista Marcelo Queiroga, serão ouvidos na próxima semana.

A comissão também irá apurar a divulgação, pelo presidente Jair Bolsonaro, do “kit Covid”.

Composto por cloroquina, hidroxicloroquina, invermectina e azitromicina, o kit Covid faz parte do chamado tratamento precoce. Esses remédios não têm eficácia comprovada cientificamente.
Da redação com o Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *