Foro privilegiado, no jantar no Alvorada e pré-candidaturas são destaques da coluna de hoje

Toffoli segura o foro privilegiado

A restrição do foro privilegiado já é favas contadas no Supremo. A maioria dos ministros votou ontem a favor. Mas eis que o ministro Dias Toffoli resolveu pedir vistas do processo. Na prática isto significa que, mesmo já votada e em tese aprovada, a medida só passará a valer depois que Toffoli liberar o processo. Só então será publicado em Diário Oficial. A dúvida é: quando o ministro vai liberar?

O que prevê a restrição

A restrição do foro privilegiado retira do benefício os deputados e senadores que cometerem crimes no exercício do mandato e vinculados à função parlamentar. Somente os presidentes das várias instâncias dos Três Poderes terão o direito de serem investigados e julgados pelo Supremo.

Jantar de apoio à reforma da Previdência foi fiasco

Muito sintomática a ausência de praticamente dois terços dos deputados no jantar oferecido pelo presidente Michel Temer no Palácio da Alvorada ontem à noite. Dos cerca de 400 parlamentares convidados, apenas pouco mais de 100 compareceram. Foi um verdadeiro boicote dos governistas, que obviamente estão descontentes por vários motivos com o governo.

Reforma sobe de vez no telhado

O fiasco de ontem é um forte indicativo de que o Palácio do Planalto terá dificuldade para aprovar a reforma da Previdência ainda este ano na Câmara dos Deputados. No jantar foi apresentada aos deputados presentes a nova versão da proposta de reforma. Para aprová-la, o governo precisará de 308 votos na Câmara. Com o advento de ontem, as contas estarão comprometidas.

Temer fará cateterismo para desentupir artéria

O presidente Temer foi internado na manhã desta sexta (24) no hospital Sírio-Libanês para desentupir uma artéria coronariana. A cirurgia ocorre um mês após a primeira internação, quando ele teve problemas urinários e detectou-se que o aumento da próstata comprimiu o canal da urina.

PMDB expulsa senadora Kátia Abreu

A senadora Kátia Abreu (TO) foi expulsa ontem do PMDB em processo movido pelo ex-deputado e ex-ministro Geddel de Lima, preso pela Operação Lava Jato. O Conselho de Ética da direção nacional do partido aprovou a expulsão por 6 votos a 0. A parlamentar respondeu a processo disciplinar pelas agressões públicas a membros dos diretórios nacional e regional e autoridades peemedebista, como o governador Marcelo Miranda, o presidente Michel Temer e ministros. Além disso, pelos votos contra a orientação do PMDB no Senado.

Requião é a bola da vez

Depois da expulsão de Kátia Abreu, que está na alça de mira da direção nacional do PMDB é o senador paranaense Roberto Requião, que muito antes vez destoando das orientações do partido e agora faz oposição ferrenha ao governo Temer. A conferir.

Huck deixará candidatura depois de sócio ser alvo de investigação

Foi um duro golpe para Luciano Huck e sua badalada candidatura a presidente da República. Seu sócio, o empresário Alexandre Acciolly, foi conduzido coercitivamente para depor ontem pela Polícia Federal, em operação que investiga a chamada “turma do guardanapo” de Sérgio Cabral. Além de grande amigo de Acciolly, Huck é seu sócio na franquia de academias Fórmula, ligada à empresa Body Tech. Noas esparsas pelas redes sociais davam conta de suas desistência da candidatura, o que não foi ainda confirmado oficialmente.

Doria pode trocar o Planalto pelo Bandeirantes

Outro que está desistindo da candidatura à Presidência da República é o prefeito de São Paulo, João Doria. Isolado e queimado dentro do PSDB, Doria agora já fala que disputará o governo do Estado se tiver o apoio do governador Geraldo Alckmin. Pelo visto, na disputa pelo Palácio Bandeirantes a parada deverá ser dura também para ele, pois terá que enfrentar ninguém menos que o capa-preta José Serra. O senador já anunciou que é pré-candidato.

Haddad deve ir ao governo

O PT de São Paulo parece ter encontrado uma solução para a briga entre o ex-prefeio paulistano Fernando Haddad e o vereador Eduardo Suplicy. Ambos estavam pleiteando a disputada pelo Senado. Agora o PT analisa a possibilidade de lançar Haddad para o governo do Estado. Luiz Marinho, que já havia se lanaçado, poderá se tornar candidato a vice.

Frase do Dia

“A comissão de ‘ética’ do PMDB decidiu pela minha expulsão do partido de Ulisses Guimarães e Tancredo Neves. Fui expulsa exatamente por não ter feito concessão à ética na política. Fui expulsa por defender posições que desagradam ao governo. Fui expulsa pois ousei dizer não a cargos, privilégios ou regalias do poder. A mesma comissão de ‘ética’ não ousou abrir processo contra membros do partido presos por corrupção e crimes contra o país. Fiquei no PMDB e não saí como queriam. Fiquei e lutei pela independência de ideias e por acreditar que um partido deve ser um espaço plural de debates. A democracia não aceita a opressão. Hoje os membros da comissão de ‘ética’ imprimiram na história do partido que lutou contra a ditadura, a mácula do sectarismo e da falta de liberdade. Sigo na luta política. Sigo com Ética. Sigo sem medo e firme nos meus propósitos, pois respeito minha família, respeito o povo do Tocantins e do Brasil, que ainda acreditam que esse país pode ser melhor.”

Kátia Abreu, senadora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *