Conheça o verdadeiro motivo do Pix

Por Carlos Harduim

 

Aos desavisados e deslumbrados com o Pix do Banco Central.

Vou tentar explicar o objetivo do Pix.

A Receita Federal da mesma forma que o Banco Central, Casa da Moeda, Banco do Brasil e a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) fazem parte do Sistema Financeiro Nacional, que por sua vez se reportam ao Ministério da Fazenda, e que por sua vez é controlado pelo poder Executivo.

O sistema de controle fiscal e tributário da Receita Federal, é considerado o melhor do mundo. Está em nível com o próximo passo, que é a inteligência artificial. Significa que o sistema tributário começará muito breve a trabalhar sozinho no acompanhamento e monitorização de toda e qualquer movimentação financeira, por menor que seja, sem necessidade de interface com os entes privados como bancos, que também fazem parte do Sistema Financeiro Nacional, mas que um dia vão desaparecer. Não há futuro para eles.

O sistema da Receita já controla em tempo real, todos os pagamentos e receitas nos cartões de crédito.
O sistema já iniciou o controle de gastos em serviços e bens, através da informação no sistema de varejo, do CPF do cidadão que compra e do que recebe. Logo o pequeno varejo estará informando o CPF do cidadão que compra um churrasquinho na praia.

O cidadão estará sendo controlado pelo gasto e não pela receita.

O cidadão como Lula, poderá ter milhões em casa ou num banco em paraíso fiscal, isso não será mais preocupação.
Não terá como gastar sem lastro, isto é, sem origem.

Ontem foi noticiado a prisão de vários empresários que movimentavam dinheiro do tráfico de drogas, do Marcola preso numa segurança máxima.

Como vocês acham que foram presos?

Gastos sem lastro ou origem.

O Pix do Banco Central, vai controlar toda circulação de dinheiro no sistema financeiro em todos os CPF e CNPJ.

Os atuais sistemas de gestão empresarial integrada, como TOTVS e SAP, não administram caixa dois. Uma empresa organizada não tem como manter dois tipos de caixa sob controle, cruzando informações financeiras com vendas e movimentação de estoques. É impossível e daqui pra frente mais difícil ainda.

O volume de salários pagos aos funcionários e circulando no mercado tem origem de um CNPJ e por aí vai.
Se não houver uma reforma tributária para que as empresas e pessoas possam pagar os impostos reais e justos, será um caos social anunciado.

Muito breve não precisaremos de moeda física, mas somente virtual como os bitcoins. Será o fim dos cartões de crédito e também dos bancos. O Pix é o início de uma nova era.

Estejam preparados, pois o chip implantado irá controlar o cidadão, em sua vida de forma integral, em qualquer parte do mundo. Será o grande big brother.

As empresas pagarão salários por créditos nos chips individuais, que por sua vez pagarão por bens e serviços, transferindo esses créditos para o CNPJ que forneceu os bens ou serviços.

Àqueles que não tiverem créditos em seu chip, terão que ser atendidos por programas assistenciais para sobreviver.
Se roubar ou extraviar créditos será identificado e facilmente localizado pelo GPS do chip.

Tal sistema também será o fim de ideologias sociais e dos crimes. O Estado não vai se intrometer na iniciativa privada. Seu papel será controlador do bem estar e pacificação social, pois pela Constituição essa é a razão de ser do Estado.

O capitalismo e a democracia andarão juntos, com justiça, equilíbrio e a paz social tão sonhada com meritocracia e livre arbítrio.

Não haverá possibilidade de poucos dominarem muitos, nivelados na pobreza e na miséria humana.

Seria esse o objetivo da ideologia marxista que jamais deu certo?

Você acha ficção? Olhe ao seu redor.

Perdendo tempo nas redes sociais e falando bobagens? Você já está sendo analisado, medido, checado e julgado.

Pensa!

Já começou a nova era.

* Carlos Harduim é engenheiro civil, analista de Sistemas e mestre em Gestão de Empresas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *