Deixar que vírus se espalho é mais desastroso para a economia que o lockdown, diz FMI

“É provável que a atividade econômica permaneça reduzida enquanto houver riscos à saúde”, aponta relatório

Da Redação

 

Os países que fizeram lockdown por causa da pandemia do novo coronavírus tiveram uma brusca queda na economia, mas a retomada também tende a ser mais acelerada do que naqueles países que deixaram a crise sanitária sem controle. É o que aponta relatório do Fundo Monetário Internacional, divulgado nesta quinta (8) pelo site UOL.

Segundo o FMI, o lockdown deixou marcas na economia, mas suspendê-lo e deixar que o vírus circular livremente – como defendeu Jair Bolsonaro – gera “consequências econômicas desastrosas”.

“Apesar de envolver custos econômicos de curto prazo, medidas de lockdown podem abrir caminho para uma recuperação mais rápida ao conter a propagação do vírus e, com o tempo, reduzir a necessidade de distanciamento social voluntário, possivelmente com efeitos gerais positivos na economia”, diz o relatório.

“Apesar de o relaxamento de medidas de lockdown poder levar a uma recuperação parcial, é provável que a atividade econômica permaneça reduzida enquanto houver riscos à saúde”, acrescenta o documento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *