Bolsonaro evita polemizar reeleição e diz que não sabe se será candidato em 2022

Por João Pedro Marques

 

ESTOU FORA, POR ENQUANTO

Em conversa com apoiadores nesta sexta-feira, o presidente Jair Bolsonaro disse não saber se será candidato à reeleição em 2022. Em tom irônico, o chefe do Executivo disse que quem critica seu governo terá “excelentes opções” de voto nas próximas disputas eleitorais e citou os ex-presidenciáveis Fernando Haddad, Ciro Gomes e Marina Silva. Apesar da fala, Bolsonaro afirmou em seguida que “tem muita gente boa no Brasil”. “Tem muita gente melhor do que eu por aí”, comentou.

AGORA É OFICIAL

O nome do desembargador Kassio Nunes Marques, do Tribunal Regional Federal da 1° Região, para a vaga do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta sexta-feira (02). No documento, Jair Bolsonaro encaminha o nome do desembargador para sabatina no Senado. No mesmo Diário Oficial, o presidente concede, ainda, a partir do próximo dia 13, a aposentadoria do ministro do STF, Celso de Mello.

AGRADOU AO CENTRÃO

A escolha de Kassio Marques agradou a uma ala do Supremo e a políticos do Centrão, que querem enfraquecer a Lava Jato, mas foi alvo de críticas por militantes bolsonaristas. Mensagens que circularam pelo WhatsApp e em plataformas como Twitter e Facebook lembravam que o desembargador foi indicado para o Tribunal Regional Federal da 1ª. Região (TRF-1), em 2011, pela então presidente Dilma Rousseff (PT). Citavam, ainda, sua ligação com o governador do Piauí, Wellington Dias, também do PT.

MUITA TUBAÍNA

Em live transmitida nas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro enalteceu a escolha por Kassio Nunes para a vaga de Celso de Mello no STF. De acordo com o presidente, ele escolheu o magistrado em razão da proximidade. “O Kassio Nunes já tomou muita tubaína comigo. Não adianta ser indicado pelas mais altas autoridades”, justificou. Ele ainda defendeu Kassio das acusações que vem recebendo dos grupos mais radicais de apoiadores do presidente – como a de ser “petista” e a de ter liberado, em maio de 2019, que o Supremo pudesse comprar lagostas e vinhos. A aquisição dos itens havia sido impedida por uma juíza federal. O presidente disse que isso não tira as qualificações de Kassio.

BANHO MARIA

A presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), avisou nesta sexta-feira, que a sabatina de Kassio Nunes Marques, indicado ao Supremo Tribunal Federal, não ocorrerá antes do dia 13 de outubro, quando o ministro Celso de Mello se aposenta. A medida, segundo ela, é uma forma de “respeito” ao decano da Corte. A votação deve ser secreta e com a presença dos senadores em Brasília. Para ter a sua indicação ao Supremo confirmada, Marques precisa do aval de 41 dos 81 senadores.

DEPOIMENTO ADIADO

O ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro, terá que aguardar para depois a Policia Federal no inquérito que apura manifestações antidemocráticas. O depoimento estava previsto para esta tarde, mas, por questões de logística, precisou ser adiado. Ainda não há a confirmação de uma nova data. O inquérito foi aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) em abril e a PF cumpriu em junho 26 mandados de busca e apreensão em cinco estados e no Distrito Federal. Dentre os alvos, estavam o publicitário Sérgio Lima e o empresário Luís Felipe Belmonte, do Aliança pelo Brasil. Também estavam na mira as deputadas federais Bia Kicis (PSL-DF) e Carla Zambelli (PSL-SP), dentre vários outros nomes.

FAKE NEWS

Eleitores de todos os estados brasileiros (neste ano o DF não tem eleição) já enviaram reclamações pelo Pardal nesta primeira semana de campanha, e o que chama a atenção nos números é que as cidades que lideram esse ranking não são as maiores, onde está a imensa maioria dos votantes. É no interior que as denúncias de fake news estão quentes nesta largada.

TRUMP DE QUARENTENA

A Covid-19 chegou ao endereço mais cobiçado por um político no planeta: a Casa Branca. O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que está com a doença e deu início à quarentena na madrugada desta sexta-feira.  A notícia causa uma reviravolta na corrida eleitoral americana, e os efeitos do diagnóstico, que é feito a 32 dias do pleito, ainda são incertos. Enquanto isso, Joe Biden anunciou que testou negativo para covid-19 e continua a pleno vapor na corrida presidencial dos EUA.

BALDE DE ÁGUA FRIA

Policiais civis aqui de Brasília estão em polvorosa. É que a pandemia da Covid-19 jogou um balde de água fria na intenção da categoria de ter paridade com os salários da Polícia Federal. Dificilmente terão mais do que os 8% autorizados pelo presidente Jair Bolsonaro. Não fosse a pandemia, a Civil teria quatro parcelas de aumento retroativo, sendo a última agora, em outubro de 2020, que comporia um aumento final de 36,709%. Não houve, no entanto, acordo. Foi um balde de água fria nos ânimos dos policiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *