Trump se recusa a se comprometer com transição pacífica de poder após eleições em caso de derrota

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a atacar o sistema de votação pelo correio e se recusou a dizer que se comprometerá com uma transição política pacífica em caso de derrota nas eleições presidenciais, que serão realizadas em 3 de novembro.

Em uma entrevista coletiva na última quarta-feira (23), Trump foi questionado se, em caso de derrota nas eleições, ele “se comprometeria com uma transição pacífica de poder”, ao que o republicano respondeu: “Bem, teremos que ver o que acontece”.

Em seguida, o presidente norte-americano voltou a criticar a votação por envio de cédulas pelo correio. Sem apresentar provas, Trump vem declarando repetidamente que o processo de votação pelo correio é sujeito a fraudes.

“Você sabe que tenho reclamado muito das cédulas. As cédulas são um desastre. Livre-se das cédulas e você terá uma transição. Não haverá transição, na verdade, haverá uma continuação. As cédulas estão fora de controle”, afirmou Donald Trump.

Em julho, o presidente norte-americano respondeu de maneira semelhante ao ser questionado se aceitaria o resultado das eleições, afirmando que “nós teremos que ver”.

A votação por correspondência é um procedimento tradicional nas eleições dos EUA. Em 2016, cerca de 25% dos votos foram feitos pelos correios. No entanto, por conta da pandemia da COVID-19, os estados flexibilizaram os requisitos para a realização da votação pelo correio para incentivar a participação no pleito. A expectativa é que 78% dos EUA possam realizar a votação por correspondência neste ano.

* Com agências internacionais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *