Bolsonaro e Guedes entram em rota de colisão e aposta por queda do ministro continua em alta

Por João Pedro Marques

FUMAÇA DE FRITURA

Segundo fontes do Planalto, a reunião entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Paulo Guedes teve cheiro de fumaça na manhã desta terça-feira. O ministro garantiu a interlocutores, após o encontro, que a discordância sobre congelamento de aposentadorias não significa um rompimento. No entanto, Bolsonaro foi duro ao comentar nas redes sociais. “Congelar aposentadoria, cortar auxilio para idosos e pobres com deficiência é devaneio de alguém que está desconectado com a realidade. Como já disse, Jamais tiraria dinheiro dos pobres para dar aos paupérrimos”, escreveu o presidente no Twitter.

CULPA DOS POBRES?

Outra declaração de Paulo Guedes que irritou Bolsonaro foi a de que a inflação subiu porque pobres estão comprando mais. Nesse momento em que há intensa discussão analisando a reeleição de Jair Bolsonaro, a opinião do ministro da Economia caiu feito balde de água fria no Palácio do Planalto. Guedes até tentou minimizar o efeito retardado, mas não evitou o estrago na sua imagem junto aos “conselheiros” do presidente. Pelos próximos dias as orelhas de Guedes vão queimar.

CARTÃO VERMELHO

A relação do presidente Jair Bolsonaro com o ministro Paulo Guedes está mesmo muito abalada. Pelo Twitter o presidente ameaçou com um “cartão vermelho” a equipe econômica. No entanto, Guedes disse em respostas que o recado é para técnicos e não para o ministro. Sobre o renda Brasil, defendido por Guedes, Bolsonaro disse que até 2022 está proibido falar em Renda Brasil. “Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”, concluiu.

CORONEL, EU?

Um mimimi entre Ciro Gomes (PDT) e o vereador paulistano Fernando Holiday (Patriota) terminou em processo na Justiça. Ciro o processou por causa de um vídeo em que é chamado de “coronel” pelo membro do MBL. Holiday teria debochado do pedetista ao chamá-lo de “coronelista”. Para Ciro, foi um “claro preconceito com suas raízes nordestinas”. O ex-presidenciável pede R$ 50 mil referentes a danos morais. Tomara que não resolvam a demanda à moda antiga.

ELOGIO INUSITADO

O ex-presidente Lula afirmou hoje que o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro é um “desequilibrado” e “medíocre”. Lula defendeu Bolsonaro e atacou Moro ao afirmar que ele tenta ganhar a opinião pública mentindo. Para amenizar, Lula disse que não tem ódio do ex-juiz. “Não tenho do Moro o ódio que ele tem de mim. Como pessoa humana, quero que ele seja tratado com o respeito que eu não fui por ele”, afirmou. Vai entender!

GRUPO DE RISCO

A notícia de que o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux, está com Covid causou certo alvoroço nos gabinetes dos demais ministros da Corte Suprema. É que parte da Corte é considerada grupo de risco. Por conta disso, Fux ficará isolado nos próximos 10 dias e os demais vão arroxar o protocolo de prevenção à doença. Vale lembrar que todos os ministro do STF estavam na posse de Fux no dia 10.

DE OLHO

O vice-presidente Hamilton Mourão deixou claro que o Palácio do Planalto está de olhos abertos em relação ao Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais). Segundo o general, dados positivos sobre a diminuição de focos de queimadas não são divulgados pela órgão, responsável pelos sistemas de monitoramento do desmatamento da floresta amazônica. “É alguém lá de dentro que faz oposição ao governo”, arriscou Mourão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *