Venezuela, Peru e Cuba entre os maiores compradores de arroz do Brasil

Da Redação

 

Enquanto o preço do arroz dispara no Brasil, o produto, base da alimentação do brasileiro, é exportado para a Venezuela, Peru, Cuba, Costa Rica e outros 109 países. É o que informa o Ministério da Economia, comandado pelo ultraliberal Paulo Guedes.

Na lista dos países que mais exportam, a Venezuela aparece em primeiro disparado, com 20% do total de todas as exportações de arroz que sai do Brasil. O envio de arroz para o país vizinho subiu 45,9%, alcançando US$ 83,2 milhões de janeiro a agosto.

Em segundo aparece o Peru, com pouco mais da metade da Venezuela – US$ 42,6 milhões; em terceiro, vem o Senegal com US$ 29,8 milhões; em quarto, Costa Rica com US$ 29,1 milhões; em quinto, Cuba com US$ 27,4 milhões, fechando a lista dos cinco primeiros entre os 109 países que exportam arroz do Brasil.

Tiago Barata, diretor-executivo do Sindicato da Indústria do Arroz do Rio Grande do Sul (Sindarroz), sobre a Venezuela, disse: “O que eu vejo é que a relação entre Brasil e Venezuela é consolidada, influenciada por questões comerciais. Os operadores brasileiros têm know-how de venda para a Venezuela, inclusive de outros produtos. Não é nada especial. Eles compram bastante do Uruguai e do Paraguai também”.

O aumento nas exportações de arroz é influenciado também pela alta do dólar e da ausência de uma política por parte do governo de estoques reguladores, orgãos como a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) foram esvaziados pela cegueira neoliberal de Temer e Bolsonaro.

Além disso, grande exportadores como a China e o Vietnã priorizaram o mercado interno neste período de pandemia do novo coronavírus.

Portanto, quem paga o preço, mais uma vez, é o povo brasileiro obrigado a pagar mais caro pelo indispensável arroz.

*Com informações do Ministério da Economia e do UOL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *