Fotos obscenas: Igreja investiga denúncias contra freis Alex Nuno e Hoslan

Arquidiocese confirmou que acompanha o caso, ocorrido em Paróquia de Ceilândia. Ordem a que eles pertencem abriu a investigação
Da Redação
Após a repercussão do caso dos freis Hoslan Guedes e Alex Nuno, suspeitos de trocar mensagens pornográficas com fiéis adolescentes da Paróquia São Marcos e São Lucas, em Ceilândia, a Arquidiocese de Brasília se pronunciou sobre o assunto. O administrador diocesano, dom José Aparecido Gonçalves de Almeida, publicou uma nota em que noticia a abertura de uma investigação canônica.

“As recentes notícias veiculadas por vários meios de comunicação sobre supostos abusos de menores resultaram no comprometimento do bom nome da Paróquia São Marcos e São Lucas sita na Ceilândia, com grave escândalo para os fiéis e pessoas de bem”, inicia a nota da Arquidiocese.

“Em vista disso, o Ministro Provincial da Província de São Maximiliano Maria Kolbe da Ordem dos Frades Menores Conventuais, que tem o cuidado pastoral da referida Paróquia, houve por bem abrir uma investigação canônica conforme as orientações da Santa Sé para estes casos”, continua o texto assinado por dom José.

Os religiosos, da Ordem dos Frades Menores Conventuais, preferiram ficar em silêncio durante o depoimento na 19ª Delegacia de Polícia, e apresentaram, por meio de advogados, uma defesa por escrito. O Vaticano chegou a mandar dois representantes para obter informações sobre o inquérito, mas a PCDF decidiu não informar detalhes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *