DISPUTA DE PODER: Planalto conta com apoio de seis governadores na ‘batalha’ contra a França. Confira outras informações na coluna JPM desta quarta-feira(28)

 

POLÍTICA INTERNACIONAL

O governo comemora  o sucesso na queda de braço com a Franca, tendo em vista que  o presidente Jair Bolsonaro passou a contar com o apoio de  oito governadores e um vice-governador da Amazônia Legal . Dos nove estados que compõem a região, o Palácio do Planalto calcula que conseguiu apoio de, pelo menos, seis chefes de Executivos locais para endossar a narrativa nacionalista contra uma suposta manifestação do presidente da França, Emmanuel Macron, de colocar em xeque a soberania brasileira sobre a Amazônia, ao sugerir um “status de internacionalização” no território.

APOIO
A coluna apurou que  interlocutores  do Planalto avaliam que o governo federal conquistou apoio e argumentos para encaminhar ao Congresso propostas de desburocratização e flexibilização da política ambiental, a fim de promover o desenvolvimento sustentável.
AUTONOMIA
O porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, afirmou na noite desta terça-feira,  que o governo brasileiro está aberto a receber recursos de países e organismos internacionais no combate às queimadas na região amazônica, desde que o país tenha autonomia plena na gestão dos recursos.

MINISTRO NA UTI

O  ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles, está  Internado, desde a noite de ontem  na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Forças Armadas (HFA) . O quadro está estável. A informação é do boletim médico do HFA, divulgado nesta quarta-feira (28) e assinado pelo diretor técnico de saúde do hospital, Nestor Francisco Miranda Júnior.

MAL ESTAR

De acordo com o boletim, Salles “deu entrada na Unidade de Emergência com quadro de mal estar”, mas sem sintomas. Mesmo assim, a equipe médica do local optou pela internação para que exames de rotina fossem realizados. O comunicado informa, ainda, que o ministro passou a noite bem, sem qualquer “intercorrências clínicas”.

A FAVOR

O presidente Jair Bolsonaro tem “muita razão” ao dizer que só aceita a ajuda financeira oferecida pelo G7 para a Amazônia se Emmanuel Macron, presidente francês, pedir desculpas. A opinião é de Aldo Rebelo, ex-ministro de diversas pastas nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff, e político que fez a maior parte de sua carreira no Partido Comunista do Brasil (PCdoB), com um forte discurso nacionalista.

GARANTIA

Rodrigo Maia (DEM-RJ), presidente da Câmara  dos Deputados afirmou  que pretende realizar uma reunião na próxima semana para aferir o ambiente em torno de projeto sobre a autonomia do Banco Central.Embora considere que o clima da Casa é favorável à proposta, no momento, Maia quer envolver a área econômica do governo e parlamentares na discussão sobre o tema

PESQUISA

A população brasileira foi estimada em 210,1 milhões de habitantes, segundo dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).O número representa um aumento de 0,79% na comparação com a população estimada do ano passado.Publicado no “Diário Oficial da União” desta quarta-feira (28), a estimativa com o total de habitantes dos estados e dos municípios se refere ao período de 1º de julho deste ano.

MAIS POPULOSO

São Paulo permanece na frente como a unidade da federação com mais habitantes: 45,9 milhões de pessoas. Ano passado, a população paulista era de 45,5 milhões – um aumento de de mais 380,1 milhões de pessoas.

CONCENTRACAO

Os quatro municípios mais populosos do país concentram 24,87 milhões de habitantes. As populações de São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador concentram 11,8% da população brasileira, que hoje chega a 210,1 milhões de pessoas.

ECONOMIA

O estoque da Dívida Pública Federal (DPF) subiu 0,38% em julho, quando atingiu R$ 3,993 trilhões. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira, 28, pelo Tesouro Nacional. Em junho, o estoque estava em R$ 3,977 trilhão.A correção de juros no estoque da DPF foi de R$ 23,59 bilhões no mês passado, quando houve resgate líquido de R$ 8,38 bilhões.A DPF inclui a dívida interna e externa. A Dívida Pública Mobiliária Federal interna (DPMFi) subiu 0,52% e fechou o mês em R$ 3,846 trilhões.Já a Dívida Pública Federal externa (DPFe) ficou 3,19% menor, somando R$ 146,85 bilhões no mês passado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *