Ceilândia quer mais educação e segurança

Novo administrador, Fernando Fernandes, comenta sobre as prioridades em sua gestão

 

Por John Macário

 

Segundo deputado distrital mais votado em Brasília, o delegado Fernando Fernandes aceitou o convite do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, para administrar a maior Região Administrativa do DF, Ceilândia, que conta com 489.351 habitantes, de acordo com a Pesquisa Distrital por Amostra de Domicílio, da Companhia de Planejamento do Distrito Federal.

Fernandes nasceu em Ceilândia Norte, dedicou-se 25 anos de profissão como policial. Coordenou as quatro delegacias de Ceilândia, em 2013 foi eleito Conselheiro Tutelar de Ceilândia, acompanhou de perto as necessidades da comunidade, percorreu escolas do DF com palestras sobre os riscos de consumo de drogas e sobre a importância do estudo para a construção de um cidadão de bem.

Em entrevista ao Estação Brasília, o administrador nos falou sobre os principais projetos neste novo desafio em sua carreia política.

Como surgiu o convite para administrar Ceilândia?

Eu fui pego de surpresa no dia 3 de janeiro, enquanto os outros deputados estavam de recesso o governador Ibaneis Rocha me fez esse convite. Ele estava com dificuldade de encontrar um nome de consenso para administrar Ceilândia e pelo fato de eu ser ceilandense, ter trabalhado em todas as delegacias da cidade trabalhei no Hospital de Ceilândia, fui o mais votado pelo segundo pleito seguido, acredito que isso o levou a me escolher para administrar a cidade. A princípio, meu acordo com ele, foi tomar conta da cidade e do SOS DF. Estávamos precisando de obras emergenciais, tinha mato alto, buraco nas pistas, vias sem sinalizações. Creio que até o término desse programa, entre 100 e 120 dias, estaremos voltando para a Câmara Legislativa.

Quais são os projetos prioritários?

Ceilândia foi apontada recentemente como a 18° cidade mais populosa do Brasil, contando com Sol Nascente e Pôr do Sol, considerada maiores comunidades horizontais da América Latina. Os projetos prioritários a meu ver, são ligados a educação e segurança.

Educação porque se formos ao Sol Nascente e Pôr-do-Sol encontraremos uma realidade onde pelo menos há dez anos não se constroem uma sala de aula, a última escola que foi construída naquela região, que é a Escola Classe n°68, que foi entregue no último governo, na verdade seria um albergue, que por pressão popular que nós do Conselho participamos, eu como delegado chefe da área, acabou se transformando em uma Escola Classe.

Segurança porque nós temos quatro delegacias em Ceilândia, duas delas estavam fechando a noite no final de semana. Assim que eu assumir como deputado, meu acordo com o governador foi de reabrir imediatamente a delegacia que eu comandava, a 19° DP. Hoje (7), a 23° DP localizada no Setor P Sul voltará a funcionar 24 horas. Essa é uma conquista para os moradores de Ceilândia e para a Administração de Ceilândia também, porque agora teremos quatro delegacias funcionando 24 horas de forma para atender melhor o cidadão, bem como praticar operações integradas, não só entre as delegacias, mas com a Polícia Militar e a Administração, onde já temos algumas operações agendadas para o mês de fevereiro, no sentido de retomar aquela sensação de paz que o morador tanto merece.

Quais são as suas principais preocupações durante a sua gestão?

São as emergenciais, as obras de infraestrutura, uma vez que a cidade estava jogada as traças, estamos tendo um apoio da Novacap e do SLU, no sentido de dar uma limpada na cidade, de dar uma nova cara para Ceilândia. Uma coisa que nos preocupa é grande quantidade de lixões abertos aqui em Ceilândia. A população precisa se conscientizar no sentido de não jogar lixo e entulho, pois isso atrai mosquito da dengue, ratos, escorpiões e animais peçonhentos que acabam colocando em risco a saúde da população

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *